S.O.S restauração com Rogerio Teruz

 

O mais que querido e salvador Rogério Teruz veio aqui no atelier não só para tomar um café, mas para me salvar de um acidente horrível que aconteceu, quando fui entregar o TOY grande de um cliente, que estava sendo pintado há 3 meses, e na hora de ser embalado na caixa de madeira para voar para São Paulo, a tampa da caixa fez o favor de escorregar deslizando o prego da cabeça ao corpo do Toy! 

Como a pintura a óleo é camada sobre camada sobre camada sobre camada……. o prego fez um corte reto e profundo arrancando todas aquelas camadas feitas com tanto carinho e dedicação. A sorte foi que não rasgou a tela, porque isso seria irremediável. Mas no final deu tudo certo, e acabei aprendendo algumas coisas legais sobre esse assunto.

A restauração nunca pode ser feita na hora do acidente. É preciso esperar. Não só para recuperar a respiração e fazer com calma. Mas existe um tempo a ser respeitado. Eu não sabia, mas é necessário primeiro preencher o espaço vazio, de preferência com uma espátula, ou um pincel adequado para aquela área, até nivelar com a pintura toda. Depois que secar bem, é que se trabalha a reconstrução no lugar afetado.

Aconteceu que intuitivamente eu acabei fazendo do meu jeito, na hora do pânico. E quando ele chegou aqui para olhar, no dia seguinte, mal dava para localizar a fissura. Mas isso foi SORTE, porque eu poderia ter piorado ainda mais e talvez ter perdido o trabalho todo. Ufa!

Então gente, normal acontecerem acidentes no atelier! Mas não se desesperem e jamais tentem dar aquele "jeitinho" porque nesse momento é preciso muita matemática e paciência, lembrando que a pressa é bem inimiga da perfeição! 

Conversar com o Teruz é sempre enriquecedor! Vou fazer um novo post sobre as dicas e histórias que ele compartilhou aqui comigo.